“O Santo e a Porca” na Escola Sesc

O Santo e a Porca

Os Coletivos Artísticos da Escola Sesc de Ensino Médio – Cia. de Teatro, Orquestra Escola Sesc e Coletivo Moda e Arte – unem forças para levar à cena a célebre peça O Santo e a Porca, escrita por Ariano Suassuna em 1957. O espetáculo tem sessões nos dias 1 de dezembro (às 19h), 2 de dezembro (às 16h30 e 19h) e 4 de dezembro (às 19h), no Espaço Cultural Escola Sesc. A entrada é gratuita.

A comédia de três atos narra a história de um velho avarento conhecido como Euricão Arábe. O protagonista é devoto de Santo Antônio e guarda as economias de toda a vida numa porca de madeira.

A montagem foi desenvolvida a partir de um projeto de convergência das três linguagens artísticas oferecidas no currículo de Artes e conta com a participação de 90 alunos.

A Cia.de Teatro, responsável pela proposta de encenação, desenvolveu todas as etapas da produção do espetáculo por meio das disciplinas que integram o Currículo Hackeado de Artes. Dessa forma, professores e alunos de Dramaturgia, Cenografia, Figurino, Música e Teatro Musical contribuíram para o processo de criação do espetáculo.

A realização pelos Coletivos Artísticos da Escola Sesc é uma homenagem ao autor que, em 2017, completaria 90 anos. O espetáculo conta com trilha sonora original, executada ao vivo, pela Orquestra Escola Sesc, e figurinos realizados pelo Coletivo Moda e Arte.

A montagem

Cada ato da peça foi desenvolvido a partir de influências expressas na obra do autor. O primeiro ato é inspirado na comédia Aulularia, de Plauto. O segundo ato, na Commedia Dell’Arte e nas conexões entre os tipos fixos dos criados, patrões e enamorados com os personagens da história de Ariano. Por fim, no terceiro ato, há o regresso ao Nordeste, berço do autor.

Referências

Aulularia ou A Comédia da Panela, de autoria de Plauto, grande comediógrafo romano, foi a peça na qual Suassuna se inspirou para escrever O Santo e a Porca. Com similaridades na trama, inclusive no nome de alguns personagens, as obras de Plauto e de Suassuna são construídas a partir do tipo social do homem avarento que, depois de ter herdado algum tesouro, faz de tudo para manter a sua fortuna, deixando de aproveitá-la e desconfiando até de seus familiares.

A Commedia Dell’Arte, oriunda do seio do povo, no fim da Idade Média, se manteve de braços dados com o carnaval e viajou por toda a Europa com as companhias itinerantes de teatro, contando histórias que vinham diretamente das ruas e das figuras populares. É na Commedia Dell’Arte que as mulheres sobem ao palco pela primeira vez.

Ariano Suassuna foi um dos maiores dramaturgos modernos do Brasil. Sua obra é riquíssima e retrata com poesia, humor e crítica os tipos brasileiros. São também títulos de sua autoria: Auto da Compadecida (1955), Farsa da Boa Preguiça (1960) e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971).

A predominância da linguagem coloquial, utilizada na peça, com o emprego livre de expressões populares regionais, caracteriza firmemente a origem das personagens situadas em um Nordeste de pobreza e de privações.

Coletivos Artísticos da Escola Sesc

A proposta do trabalho com Cia. de Teatro é promover uma imersão num processo de prática de montagem que permita a ampliação do olhar estético do aluno, assim como a visão do funcionamento do mercado teatral no Brasil. A ideia é capacitar o estudante tecnicamente na linguagem e fazê-lo entender os diferentes campos e funções de trabalho na área das Artes Cênicas.

A Orquestra Escola Sesc é formada por 43 alunos residentes na Escola Sesc, das três séries do Ensino Médio, além de estudantes externos, participantes dos cursos de música oferecidos no projeto Uzina – Laboratórios de Artes. O conjunto é composto por cordas, madeiras, metais, percussões e sessão rítmica.

O Coletivo de Moda e Arte foi inaugurado em 2016 como um espaço de criação e reflexão sobre moda sustentável, consumo consciente e produção artística, funcionando como um braço teórico e prático do Brechó Cabide. O principal objetivo é integrar questões estudadas nas disciplinas de Artes Visuais e de Moda, orientadas para a elaboração de materiais que provoquem um pensamento crítico sobre a situação do planeta, sobretudo em relação à cultura do descartável.

FICHA TÉCNICA

Cia. de Teatro

Direção: professora Patrícia Zampiroli

Amanda Santos, Babi Florencio, Camila Vitória, Danielle Lages, Gabriela Vidori, Gutemberg Sousa, Igor Almeida, Júlia Santiago, Lucas Bahia, Luísa Klix, Matheus Ishizuka, Pedro Vinícius, Tarciso Monteiro, Vivian Mota, Yuri Gabriel.

Cenografia: Barbara Quadros (professora orientadora), Vinícius Henrique, Wictor Hugo, Camila Bueno, Wallace Oliveira.

Dramaturgia: Mariana Barcellos (professora orientadora), Fernanda Rocha, Henrique Gallo, Vinícius Longo, Denis Bispo.

Figurino: Chloe Lerina (professora orientadora – Coletivo Moda e Arte), Bárbara Maria, Higor Nery, Letícia de Souza, Rahab Seixas, Yasmin Ariadiny.

Costureira: Maria do Amparo

Iluminação: Alberto Timbó

Orquestra Escola Sesc

Trilha musical, arranjos e regência: professor Juan Pablo Martin

Professores orientadores: Altair Martins (trompete), Anderson Miranda (acordeom), Chico Costa (saxofone), Flank Carlaly (violino), Gabriel Gravina (piano), Luis Audi (violino e violoncelo), Maurício Durão (canto), Pedro Henrique Silva (flauta e clarinete), Roberto Malaguti (percussão), Rodrigo Couras (piano), Henrique Ludgero (bateria).

Integrantes: Adriana Pereira (clarinete), Betânia Carvalho (flauta), Caroline Reis (piano), Clayton Peçanha (voz), Daiana Nascimento (violino), Derick Navarro (voz), Douglas Willian (percussão), Eduarda Pessotti (voz), Eduardo Santana (sax tenor), Eriki Silva (violino), Fabio Teixeira (violino), Felipe Baldin (voz), Felipe Teixeira (saxofone), Fernando Moraes (percussão), Gabryel Henryque (percussão), Gustavo Pires (violino), Henrique Muller (piano), Hugo Maia (sax alto), João Barbosa (percussão), Jorge Oyama (trompete), Karina Isabel (percussão), Lucas Soares (violão), Marco Caetano (violino), Marco Junio (acordeom), Maria Clara (voz), Mariana Rodrigues (voz), Matheus Rongetta (marimba), Maurício Amaral (sax alto), Maury Dutra (acordeom), Max Henrique (percussão), Nicholas Silvério (voz), Patrick Calazans (saxofone), Pedro Miranda (baixo), Rafael Aragão (voz), Rafael Bertoldi (violoncelo), Renato Gonçalves (clarinete), Richard Verdoon (trompete), Wilton Garcia (violino), Ygor Saturnino (violão), Zaira Ramos (voz).

Teatro musical: Cláudia Ventura e Alexandre Dantas (professores orientadores), Artur Antenor, Ayslla Adriana, Bárbara Farias, Carlos Eduardo, Francisco Jandson, Helio Xavier, Josiane dos Santos, Luma Pinheiro, Maria Mariana, Saulo Eduardo.

Trilha sonora: André Paixão (professor orientador), Dayane Pinto, Eric Fabiano, Vecius Adelson, Vinícius Longo.

Realização: Coordenação Geral de Cultura | Escola Sesc de Ensino Médio

 

SERVIÇO

O Santo e a Porca, peça de Ariano Suassuna

Montagem dos Coletivos Artísticos da Escola Sesc de Ensino Médio – Cia. de Teatro, Orquestra Escola Sesc e Coletivo Moda e Arte

Sessões: 1 de dezembro, sexta, às 19h | 2 de dezembro, sábado, às 16h30 e 19h | e 4 de dezembro, segunda, às 19h

Local: Espaço Cultural Escola Sesc | Teatro

Entrada gratuita

Capacidade: 600 lugares

Duração aproximada: 110 minutos

Classificação: livre

Gênero: comédia

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.