P.E.R.I.F.É.R.I.C.O. 2017

CapaFacebookPeriférico.jpg

De 24 a 30 de junho, a Escola Sesc de Ensino Médio promove o projeto Periférico. O evento conta com uma diversificada programação cultural, que inclui shows, espetáculos teatrais, intervenções visuais, exibição de filmes e happening literário, reunindo artistas de países latino-americanos e europeus, além de diversos estados brasileiros.

Os principais objetivos da ação são fomentar trocas de conhecimento e valorizar a diversidade cultural.

Nesta edição, a programação foi definida a partir do conceito de curadoria coletiva. Para isto, foram implementados os Comitês de Curadoria, promovendo encontros semanais de participação livre e não obrigatória para definição de conceitos e temáticas. Desta forma, cerca de 40 professores e alunos da Escola Sesc de Ensino Médio reuniram-se semanalmente e elaboraram esta programação, agora oferecida a todos os públicos.

A programação é gratuita, com distribuição de ingressos 1h antes do início das atrações.

Participe das atividades e convite seus amigos!

PROGRAMAÇÃO

24 de junho | sábado | 19h
Teatro
Show Digitaldubs

Criado em 2001, o Digitaldubs, o primeiro sound system no Rio de Janeiro, revolucionou de forma impactante o cenário da música independente carioca e a musicalidade do reggae brasileiro. O coletivo inspirou a criação de outros sound systems pelo Brasil, além de se tornar o principal representante do pais na cena internacional.

Além da atuação como sound system, o grupo tem um profundo trabalho de produção musical, que se caracteriza por uma mistura original de dub e dancehall com elementos brasileiros, baseado em pesquisa e experimentação.

DIGITALDUBS_ Foto de Paulo Eduardo

Digitaldubs

25 de junho | domingo | das 17h às 21h
Pilotis
Domingueira Artística

Uma tarde repleta de ações artísticas, feira de artigos culturais e atividades protagonizadas pelos alunos da Escola Sesc de Ensino Médio. A Domingueira visa fomentar a fruição artística, dando destaque ao protagonismo juvenil. Com participação de estudantes, professores e educadores, a vivencia visa integrar toda a comunidade acadêmica em um evento no qual a cultura se mostra o caminho para a confluência de experiências.

26 de junho | segunda-feira | das 15h às 17h
Espaço Cultural Escola Sesc
Intercâmbio Literatura e Artes Visuais

Como uma das características principais do Periférico, os intercâmbios visam ao diálogo entre artistas das mais diferentes áreas para que, juntos, proponham caminhos e discussões sobre cultura e arte. Uma troca de experiências impar entre grupos latino-americanos.

As atividades destinam-se somente a integrantes dos grupos artísticos.

26 de junho | segunda-feira | 17h
Teatro
Espetáculo A Salto Alto

Entre gentilezas e extermínios, conta a história de sete pessoas que, ao terem acesso a uma outra maneira de viver, se despem de suas experiências para vestir essa outra realidade. O espetáculo se desenrola a partir desse tensionamento entre um ambiente formal e refinado e personagens que carregam em sua essência a irreverência de quem tem que reinventar e ressignificar a vida a cada instante. O espetáculo profana a fábula romântica da Cinderela, tendo como principal crítica o consumismo desenfreado da nossa sociedade.

Com Circo no Ato (RJ)

26 de junho | segunda-feira | 19h
Anfiteatro
Show Dr. Swing Band

A banda Dr. Swing se formou em 2015 sobre os impulsos ciganos músicos que intencionaram difundir as influencias jazzísticas de grandes artistas de jazz manouche nas ruas do Rio de Janeiro. O quarteto internacional adaptou à sua maneira a formação clássica típica do ícone Django Reinhardt, para dar uma sonoridade mais metálica regada de energia aos clássicos do estilo.

Viajantes provenientes de Argentina, França e Brasil percorrem o tempo e o espaço, assim como os ciganos, para promover este estilo peculiar que foi lançado na década de 1930 na França. Trazem na bagagem o som da guitarra manouche e muito swing prometendo não deixar ninguém parado e conquistar pela alegria qualquer ouvinte.

 

 

Dr. Swing Band

Dr. Swing Band

27 de junho | terça-feira | das 15h às 17h
Espaço Cultural Escola Sesc
Intercâmbio Música e Artes Cênicas 

Como uma das características principais do Periférico, os intercâmbios visam ao diálogo entre artistas das mais diferentes áreas para que, juntos, proponham caminhos e discussões sobre cultura e arte. Uma troca de experiências impar entre grupos latino-americanos.

As atividades destinam-se somente a integrantes dos grupos artísticos.

27 de junho | terça-feira | 18h
Teatro
Mostra Sesc de Cinema

Sessão com filmes indicados para concorrer na Etapa Nacional da Mostra Sesc de Cinema + Cerimonia de premiação

28 de junho | quarta-feira | das 15h às 17h
Espaço Cultural Escola Sesc
Intercâmbio Literatura e Artes Visuais

Como uma das características principais do Periférico, os intercâmbios visam ao diálogo entre artistas das mais diferentes áreas para que, juntos, proponham caminhos e discussões sobre cultura e arte. Uma troca de experiências impar entre grupos latino-americanos.

As atividades destinam-se somente a integrantes dos grupos artísticos.

28 de junho | quarta-feira | 17h
Teatro
Espetáculo Circo de Soleinildo

Em algum lugar no interior do sertão brasileiro, Soleinildo e seus três companheiros de lona viajam a procura de público, cada vez mais escasso, para o seu circo de ilusões.
Contrariando a tendência da contemporaneidade, o Circo de Soleinildo segue, até então, mantendo suas tradições com números simples e até mesmo ingênuos.

Contudo, a dificuldade de atrair público traz à tona uma questão: prosseguir com os mesmos princípios dessa arte milenar deixada por seus antepassados ou aderir as novas tecnologias e as mudanças do mundo moderno?

Com a Cia. Operakata (BA)

O Circo de Soleinildo - foto Vinícius Gil

Circo de Soleinildo

28 de junho | quarta-feira | 19h
Anfiteatro
Show Mango Mambo 

A banda Mango Mambo foi criada pelo multi-instrumentista argentino Maximiliano Antonio Martínez após uma longa viagem por América do Sul e Europa, em que pesquisou os ritmos latinos. Nessa aventura, que começou no ano 2011, ele atravessou Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Espanha, Franca, Itália e Holanda, compartilhando esse interesse com outros músicos e aprendendo tocar vários instrumentos.

Os ritmos que mais o inspiraram foram as salsas cubana e porto-riquenha, e as cumbias colombiana e peruana. Suas maiores influências soa os grandes expoentes Hector Lavoe, Willie Colon, Ruben Blades, Celia Cruz, Oscar D-Leon, Buena Vista Social Club, Fruko y sus Tesos e Juaneco y su Combo, entre outros.

Mango Mambo

Mango Mambo

29 de junho | quinta-feira | das 17h às 18h30
Espaço Cultural Escola Sesc
Leitura Encenada + Lançamento do Livro Periférico 

Alunos da Escola Sesc de Ensino Médio e integrantes das companhias visitantes apresentam encenação de trechos das peças teatrais Say No More, da chilena Carla Antolyna Valles; Vacas, do cubano Rogelio Orizondo; e Então, Alice Caiu, da peruana Mariana de Althaus.

As obras (em português e no idioma original) constam da publicação Periférico – Dramaturgias Latino-americanas.

Periférico – Dramaturgias Latino-americanas

Periférico – Dramaturgias Latino-americanas

29 de junho | quinta-feira | 19h
Espaço Cultural Escola Sesc – Espaço Garagem
Performance Poética e Intervenção Visual

Um sarau. Um slam de poesias. Projeções. Intervenção. Um diálogo entre Literatura e Artes Visuais no qual podemos perceber que palavra e imagem podem ter relações muito diferentes do que imaginamos.

O artista plástico Alexandre Cavalcanti formou-se em Desenho Industrial em 2006. Trabalhou em estúdios de fotografia e design. Foi para Nova York em 2008 estudar na School of Visual Arts, em que acabou ficando por três anos, fazendo o mestrado de Belas Artes na Parsons New School of Arts, em um intenso estudo sobre sua arte. O seu trabalho se divide entre pintura, desenho, gravura, colagem e experimentos com outras mídias.

Nascido em 1974, Guga Ferraz vive e trabalha no Rio de Janeiro. Bacharel em Escultura pela Escola de Belas Artes da UFRJ, no ano 2000 integrou o grupo de interferências urbanas Atrocidades Maravilhosas e, desde então, trabalha com projetos de arte pública que envolvem ações coletivas utilizando a cidade como pano de fundo. Criador e coprodutor dos eventos de arte Zona Franca (56 edições entre 2001-2002) e Alfândega (duas edições em 2003). Desde 2005 e artista representado pela galeria A Gentil Carioca, na qual realizou, em contexto público, o projeto Cidade Dormitório (2007), as mostras individuais Condomínio (2005), A Cidade Repete o Homem (2008), Maranhão (2014) e foi curador da edição de 2010 da exposição Abre Alas.

Mano Teko

Mano Teko

Mano Teko, MC de sucesso no funk na década de 1990, hoje também atua como produtor. Vem, há mais de uma década, articulando ferramentas que possibilitem melhor diálogo no e com o movimento funk, entre as quais estão a criação da Apafunk (Associação de Profissionais e Amigos do Funk), oficinas, o Sarau Divergente e bailes. Com uma letra dita “consciente”, entende o funk como um só. Sem fugir de qualquer problematização, usa da sua poesia preta – o funk – a favor dos seus, contra a criminalização e o racismo. 

Rafael Inácio transforma sua visão de mundo em uma fragmentação de imagens do corpo e suas muletas, refletindo sua experiência de vida na visualidade de suas pinturas. Assim, traz para a sua arte características da pós-modernidade por meio de uma estética que remete ao cartoon. Se utiliza da geometrização das formas para retratar com ironia a condição atual do corpo e os padrões estéticos contemporâneos – como em suas musas esquálidas – e os relaciona com os bens de consumo e com a publicidade.

Nascido em 1989, Geizon Fernandes – apelidado de Xamã – conheceu as rimas já adulto. Começou a rimar por influência de alguns amigos quando ainda trabalhava em uma multimarcas na Barra da Tijuca. Logo se apaixonou pelo rap e resolveu seguir seu novo sonho: viver de música e arte. Em 2015, formou a dupla XamãEstudante, que teve fim em 2016, quando iniciou sua carreira solo com o hit Sou tão louco às vezes. Foi campeão em várias rodas culturais e uma das revelações da Batalha do Tanque, em São Gonçalo. Neste mesmo ano participou do Mic Master e da Batalha do Real, sendo um dos quatro finalistas. Ganhou o Slam Rio como melhor poeta do Rio de Janeiro, participando do Slam Brasil em São Paulo, onde ficou com o título de sexto melhor poeta do Brasil. Hoje é integrante da Brutang44, 1KILO e faz parte do Cartel MCs, sem abandonar seus projetos solo, participando também de cypher importantes como Pineapple e Poetas no Topo.

image3-e1498248211241.jpg

Xamã

Escritor e artista visual brasileiro, Tchello D-Barros vive e trabalha no Rio de Janeiro. Dedica-se desde 1993 a criação de poemas, poemas visuais, contos, desenhos, pinturas, gravuras, performances, instalações e videoartes. Publicou seis livros de poemas e possui textos em mais de 50 antologias. Com 31 exposições individuais, suas imagens já participaram de cerca de 130 exposições coletivas. Coordena a inerência da exposição Convergências, retrospectiva de seus poemas visuais. Realiza oficinas de Literatura, curadorias em Artes Visuais e projetos editoriais independentes.

Tchello d'Barros  (Foto de Cacau Fernandes)

Tchello D-Barros

 

30 de junho | sexta-feira | 17h
Anfiteatro
Espetáculo Cuidado!! Um Palhaço Mau Pode Arruinar a Tua Vida

Em um mundo cheio de contrastes, de inocência, de sarcasmo, de conformismo e de rebeldia, o palhaço criado e interpretado pelo argentino Fernando Chacovachi é um verdadeiro vingador temido pelos adultos. Não é tonto, nem ingênuo, nem tampouco fácil de digerir.

Os malabares, a magia, o equilíbrio e os globos são as desculpas; Deus, a política, a morte, as drogas, o poder, a falsa modéstia, o amor, os ideais e o conformismo são as razões para rir. Sua missão neste mundo é acordar as almas desprevenidas.

Um espetáculo que emociona, transforma e arde. Cheio de risos, sorrisos e gargalhadas, mostra um palhaço autentico, quebrando com todos os códigos tradicionais clownescos, na sua luta por entreter sem idiotizar, sobrevivendo a esta tentativa.

Cuidado!! Um Palhaço Mau Pode Arruinar a Tua Vida

Cuidado!! Um Palhaço Mau Pode Arruinar a Tua Vida

 

30 de junho | sexta-feira | 19h
Pilotis
Show Beach Combers

Formado no início de 2009, no Rio de Janeiro, os Beach Combers não são exatamente um tipo comum de trio. Bernar Gomma (guitarra), Paulo Emmery (baixo) e Lucas Leão (bateria) surfam sem medo na onda instrumental, mesclando o som das guitarras magnéticas da surf music à trip lisérgica de garagem dos anos 1960. Tudo isso sem parecer ou soar como uma banda de releitura. Eles imprimem sua própria pegada e identidade única, estética e sonora, destacando-se nacionalmente na criação de novos temas.

Beach Combers

Beach Combers

 

Anúncios
Esse post foi publicado em PERIFERICO, Uncategorized. Bookmark o link permanente.