P.E.R.I.F.É.R.I.C.O



Captura de Tela 2015-09-28 às 14.19.37

 

 

O projeto P.E.R.I.F.E.R.I.C.O. é um encontro de artes e cultura que volta-se à manifestações, obras, artistas e grupos à margem do mercado cultural estabelecido, realizando intercâmbios, residências, cursos, lançamentos de publicações e apresentações artísticas.


Residência em Artes Cênicas
• 02 a 10/10

MEDIADORA: Renata Pimentel

Bacharel em Letras, com Mestrado e Doutorado em Teoria Literária pela UFPE, atua desde 2010 como professora adjunta de literatura na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Publicou Uma lavoura de insuspeitos frutos (ed. Annablumme, São Paulo, 2002); Copi: transgressão e escrita transformista (ed. Confraria do Vento, 2011); Da arte de untar besouros (poesia, ed. Confraria do Vento, 2012) e Denso e leve como o voo das árvores (poesia, ed. Confraria do Vento, 2012); além de diversos artigos em vários periódicos. Tem formação também em dança clássica e atua nas áreas criativas da dramaturgia em dança contemporânea e teatro.

GRUPO: A Tua Lona (SE)

O grupo surge da necessidade de jovens amigos sergipanos em se expressar através da linguagem teatral. O trabalho proposto pelo grupo A Tua Lona não se restringe às apresentações teatrais. Ele perpassa por pesquisas, por debates e discussões que modificam não apenas os membros envolvidos – num constate processo de construir-descontruir-reconstruir, de aprender-ensinar-repassar, – como também está presente no resultado, agindo dessa forma, direta e indiretamente com a sociedade. Entre suas montagens estão O Vizinho do 203 (2010), Os Marginais (2010-2012), O Vômito (2011), Menina Miúda (2011), Ela Esteve Aqui (2012), espetáculos de

GRUPO: El Baul Teatro (BOLÍVIA)

Fundado por Mary Carmen Monje e Christian Castillo 2006, o grupo coloca-se como um espaço de pesquisa e desenvolvimento teatral, com uma abordagem contemporânea que une várias técnicas teatrais, procurando criar um espaço para a crítica e análise. O grupo é um núcleo que reúne artistas profissionais de artes cênicas, o que dá a possibilidade de ter sempre novidades no resultado cênico.

GRUPO: El Masticadero (BOLÍVIA)

Criada em 2005, o grupo trabalha com a direção de Claudia Eid, priorizando a produção dramatúrgica própria. Entre as obras montadas pelo grupo estão “La Partida de Petra”, apresentada em festivais internacionais de Cochambamba, La Paz, Santa Cruz e Córdoba-Argentina; “El feo” de Marius von Mayenburg; “Posible Pozo” de Claudia Eid, ganhadora do “Premio Agua”; “La Carga”, escrita por Eid e vencedora do “Premio Nacional de Teatro Peter Travesí”, além de indicações como melhor direção e melhor atriz no “Festival Bertolt Brecht”; entre outras.

GRUPO: Flor e Espinho Teatro (MS)

Dedicado à produção de um teatro que pesquise as potencialidades do Teatro e do Circo, o grupo busca um ator versátil e as diversas linguagens e possibilidades para criação cênica. Investiga a sociedade contemporânea estabelecendo uma profunda relação entre autonomia criativa do ator, o ambiente social que o envolve e a sustentabilidade econômica por meio do tetro. O grupo realiza, para isso, ações em conjunto com outras entidades de modo a interferir na política cultural do estado e do país. Tais ações têm contribuído para a democratização e fortalecimento da cultura, além de projetar o Flor e Espinho Teatro como um importante núcleo de pesquisa teatral em Mato Grosso do Sul.

GRUPO: Prática de Montagem Uzina 2014

Formado a partir do laboratório de Prática de Montagem do projeto Uzina do Espaço Cultural Escola Sesc, o grupo desenvolve seu trabalho através da pesquisa, busca de linguagem e memória.

 

Residência em Artes Visuais • 05 a 10/10

Mediador • Luiz Gustavo Gavião

Doutor em História e Crítica da Arte pela Escola de Belas Artes, UFRJ e Graduado em Educação Artística pela UERJ. Trabalha na Escola SESC de Ensino Médio com laboratórios que buscam a experimentação com linguagens artísticas diversificadas. Trabalhou como Coordenador de Ações Educativas do CCBB Rio, hoje colaborando com a redação dos cadernos educativos da instituição. Como pesquisador, atua na área de arte colonial brasileira.

 

Artista • Airá Ocrespo

Mc Grafiteiro, arte educador, produtor e articulador cultural que, há quinze anos, aderiu ao movimento Hip Hop como um meio de compartilhar sua visão de mundo gostando de desenvolver conceitos para suas obras, principalmente, baseado em figuras de linguagens. Além de ser componente de um dos primeiros grupos de graffiti do RJ, a Nação Crew e de trabalhar em festivais e eventos no Brasil e no exterior, o artista participou de exposições como a Bienal Internacional de Graffiti em SP, e também possui obras significativas como a do muro externo do Museu Histórico Nacional.

Artista • João de Albuquerque

Graduado em educação e arte trabalhando no Educativo do Museu Casa do Pontal e Oi Futuro, já foi assistente artístico de Ernesto Neto e desde 2007 expõe initerruptamente como artista visual atuando atualmente como Artista Educador Sênior da Casa Daros articulando projetos com outras instituições, com o público e com o entorno.

 

Artista Nina Benchimol

Artista visual carioca criadora do Arte Vivah um projeto de experiências sensoriais de pintura corporal e fotografia. O Arte Vivah consiste em uma dinâmica plástica sensorial com base em pesquisa sobre as conexões entre as práticas contemporâneas de pintura corporal e as técnicas de manipulação energética.

 

Artista • Raphael Couto

Professor de artes visuais, colaborador da Revista DasArtes, organizador do evento Codorna Performa, curador da exposição Bordaduras Contemporâneas, no Espaço Cultural do Colégio Pedro II e artista investigador das relações entre corpo, objeto e escrita, que se desdobram em performances, vídeos, fotografias e textos. Dentre os locais em que já expos destacam-se Caixa Cultural/RJ e MAM/RJ. Também participou dos recentes festivais e eventos de performance em Macapá, Curitiba, Argentina e Itália.

 

Produtora de Arte Convidada • Renata De Lorenzi

Além da formação acadêmica na área da Comunicação Social e Gestão Cultural, já participou da produção e da curadoria de exposições em diversas instituições cariocas, bem como, em Montevidéu na II Bienal de Montevidéu e do Pavilhão da América Latina, em Veneza. Atualmente, é coordenadora de projetos culturais e curadora no espaço independente ÉS UMA MALUCA!, no Rio de Janeiro, além de desenvolver o projeto Exclamação cujo objetivo é pensar novas possibilidades para o mercado de artes.

 

Residência em Música • 05 a 10/10

Mediadora • Simone Mazzer

Em 1989, depois de abandonar uma promissora carreira de atleta do voleibol com uma lesão no joelho, é convidada pelos amigos Silvio Ribeiro e Neli Beloti a integrar o Côro Cênico Chaminé Batom, em Londrina – PR. Depois de muitos shows por Londrina, região e interior de SP com a banda, em 1995, lança seu primeiro CD (independente) ainda com o Chaminé: “Decifra-me ou …”. Depois de seis anos residindo no Rio, em 2004, faz sua primeira incursão no mercado musical carioca com o show “Ao Vivo”. Paralelo ao seu show e à produção de seu álbum segue em cartaz desde 2013 com seu “Pocket Dance Show”, na abertura do espetáculo “Buraco da Lacraia Dance Show” no Rio de Janeiro.

 

 

Artista • Aline Paes

Aline Paes iniciou sua carreira em 2009 e já no ano seguinte foi vencedora do I Prêmio Divas da Música Brasileira, no qual concorreu com cantoras de todo o país tendo no júri o jornalista Sérgio Cabral, a cantora Ná Ozzetti e o músico e pesquisador Charles Gavin. Em 2014 lança seu primeiro CD, “Batucada Canção”, que trata da vocação musical do Brasil, tanto no cancioneiro quanto nos ritmos populares. O CD conta com a participação de músicos como Carlos Malta, Nicolas Krassik e Gabriel Grossi, dentre outros. Também é Produtora Cultural, graduada pela Universidade Federal Fluminense.

 

Artista • Juliana Linhares

Juliana, que é natalense e tem 25 anos, é atualmente a vocalista da banda carioca Pietá. A banda passou por algumas das principais casas de show e espaços culturais do Rio de Janeiro, como Circo Voador, Casa de Cultura Laura Alvim, Pedra do Sal, Studio RJ, Galpão Gamboa, Teatro Rival, Centro Municipal de Referência da Música Carioca e Sala Baden Powell. No Circo Voador, participando do Webfestvalda2014, levou os prêmios de “Melhor Banda” e “Melhor Vocalista”. Durante esse tempo receberam vários artistas nos shows, como Claudio Nucci, Rodrigo Maranhão, Jefferson Gonçalves, Geraldo Junior, Julia Vargas, Beto Lemos, Larissa Luz, Mohandas, entre outros. Juliana além de cantora é atriz e diretora de teatro graduada pela UNIRIO.

 

Artista • Monique Rocha

 Monique Rocha é atriz, cantora e artista plástica, formada pela UFES em artes plásticas e em teatro pela FAFI (escola de Teatro e Dança de Vitória), trabalha no cenário capixaba desde 2002. Como cantora atua desde 2007, mas somente em 2010 tem o samba como seu estilo musical. Já fez parte do grupo “Fina Flor do Samba” e desde 2012 desenvolve o projeto “Samba da Antiga”, com um repertório de sambas clássicos e se apresentando em bares, festas particulares e em eventos empresarias e municipais. Em 2012 estreou o espetáculo teatro musical “100 anos de Herivelto Martins”, com participação de cantoras capixabas, casal de mestre sala e porta bandeira, bailarinos e artista circense, assumindo a mescla de teatro com música. Com o espetáculo “O Canto da Guerreira”, uma homenagem a Clara Nunes, vem reafirmar o gênero e o assumindo como seu estilo.

 

 

Artista • María Toro

María Toro nasceu em 1979 em Corunha (Espanha), e desde os oito anos não se separa mais da sua flauta. Após obter o curso superior e fazer incursões na música tradicional galega e portuguesa, começa o seu interesse pelo jazz e outras músicas populares. Em julho de 2013 se estabelece no Rio de Janeiro, ao mesmo tempo em que compagina os seus trabalhos na Europa e não abandona a carreira musical em Nova York. Lá grava, de fato, o seu primeiro trabalho, “A Contraluz”, no que Toro compõe, arranja e interpreta sete faixas nascidas do flamenco e desenvolvidas no jazz junto a uma banda de figuras de ambos os gêneros musicais. A Contraluz reflete com exatidão o momento ascendente da carreira de María Toro, que já ganhou uma ampla bagagem e ao mesmo tempo tem um futuro promissor.

 

Sexta-feira • 02/10 • 19h30

Lançamento da Publicação P.E.R.I.F.E.R.I.C.O – Dramaturgias latino-americanas.

MUJER DE JUAN • Grupo El Masticadero (Bolívia)

Local: Palco | Duração: 45 minutos | Classificação etária: 14 anos | Capacidade: 80

Sinopse: Mujer de Juan fala sobre os limites da arte. Conta a história de uma mulher cujo marido é um famoso pintor que está doente e a ponto de morrer. Então, a protagonista decide imortalizar seu amado em uma instalação artística. Em seguida, começa a discussão com um crítico de arte, que questiona os motivos de sua obra. Mujer de Juan também inclui o crime passional como um ato de amor puro. A obra está inspirada no filme “O Museu de Margaret”. Interpretado por Cecilia Michel, dentro de uma personagem insegura e obsessiva. Em cena, se prioriza a imagem, usando como tela o corpo da atriz.

Ficha técnica: Elenco: Cecilia Michel / Texto e direção: Claudia Eid.

 

Sábado • 03/10 • 19h30

VERDADES INVERSAS • Grupo Flor e Espinho (MS)

Local: Palco | Duração: 45 minutos | Classificação etária: 10 anos | Capacidade: 80

Sinopse: Imprensa sensacionalista, razão e loucura, verdades e inversões são o foco desta montagem de teatro de rua a partir de uma estética em que a cena e público e deslocam em diferentes espaços no correr da trama. Um espetáculo que se utiliza das ruas, de cubículos, de zonas periféricas, de shoppings, de meio fio, da sarjeta provocando um olhar crítico sobre cidade e pessoas que tem as ruas como suas casas.

Ficha técnica: Elenco: Alex Petersen, Ewerton Goulart, Luiz Cláudio Dias, Nathalia Andrade, Nathália Borioli e Renata Cáceres / Texto: Péricles Anarcos / Concepção e Direção: Anderson Lima / Figurino: Anderson Bosch / Música: Ewerton Goulart / Design e Audiovisual: Vaca Azul.

 

Segunda-feira • 05/10 • 15h

LEITURA JOVENS DRAMATURGOS

Local: Palco | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos| Capacidade: 600

Sinopse: O grupo teatral A Tua Lona (SE) encena os textos vencedores do V Concurso Jovens Dramaturgos.

Ficha técnica: Direção: Euler Lopes / Elenco: Cícero Júnior, Euler Lopes, Inês Reis e Marina Bezerra.

 

Segunda-feira • 05/10 • 17h

CONVERSAS VISUAIS

Local: Ateliê de Artes Visuais | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 30

Conversas sobre artes visuais, mercado de artes, criação e temas diversos com os artistas participantes da Residência em artes visuais.

 

Segunda-feira • 05/10 • 19h30

SHOW SIMONE MAZZER • “Simone Mazzer Duo

Local: Espaço Garagem | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos | Capacidade: 100

Simone Mazzer leva este duo ao Espaço Cultural Escola Sesc com um apanhado de suas referências e repertório que fazem parte de sua carreira, canta musicas do seu mais que elogiado primeiro disco solo e clássicos da música brasileira e internacional, acompanhada pelos  arranjos e sons executados por Marco Scolari (guitarra, viola caipira, acordeon e piano).

 

Terça-feira • 06/10 • 15h

DESAPARECIDOS (BR)

Local: Palco | Duração: 80 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 600

Sinopse: Quatro personagens procuram um modelo que reste do gênero masculino para compreender o que seria o relacionamento entre homem e mulher. Aparentemente, os pais, maridos, noivos ou namorados e quase tudo que os lembre desaparecem, com exceção de um trauma, de um choque, sem que se possa dar sentido a tal desaparecimento.

Ficha técnica: Elenco: Ana Clara Katopodis, Camila Curty, Dani Tavares, Jacira Thomé, Jadson Baruc, Jorge Sales e Lucimar Machado / Direção: Joana Lebreiro / Iluminação: Carlos Alberto Artigos / Cenário: Coletivo Prática de Montagem / Figurino: Coletivo Prática de Montagem / Texto: Claudia Eid.

Terça-feira • 05/10 • 17h

Balaio – Encontro entre residências

Local: Café Literário | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 18 anos | Capacidade: 40

Encontro de trocas de experiências com participantes das residências artísticas em artes visuais, artes cênicas e música.

 

Terça-feira • 05/10 • 18h

SHOW MARÍA TORO “A Contraluz”

Local: Espaço Garagem | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos | Capacidade: 100

A Contraluz traz para o Brasil a essência da música abrangente de María Toro. Espanhola com uma destacada trajetória no flamenco e no jazz combina o seu trabalho em companhias da Espanha e a Suíça com a sua carreira em Nova York, onde tem se apresentado com artistas de renome como Jack de Jonette ou Jorge Pardo nos palcos do Blue Note ou o Joe’s Pub. A Contraluz sintetiza as inquietações dela, sempre a procura constante de um som próprio nascido do flamenco, mas influenciado pelo jazz e outras músicas populares. María incorpora a flauta no flamenco e cria uma linguagem única e pessoal que mergulha a plateia em um mundo desconhecido.

 

Terça-feira • 06/10 • 19h30

LANÇAMENTO DA PUBLICAÇÃO P.E.R.I.F.E.R.I.C.O – DRAMATURGIAS LATINO-AMERICANAS.

LEITURA ENCENADA DO TEXTO: MORTE PARCIAL

Local: Porão Torquato Neto | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 25 lugares

Sinopse: Um acidente na montanha é o ponto de partida dessa história que podemos situar entre o drama e o policial. Motivados pelo desejo de recomeçar suas vidas do zero, deixando para trás os erros do passado, as personagens vão revelando sua complexidade existencial no transcurso de cada uma das onze cenas que apresentam uma trama com final surpreendente.

 

Quarta-feira • 07/10 • 15h

ELA ESTEVE AQUI • Cia A Tua Lona (SE)

Local: Palco | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 14 anos | Capacidade:

Sinopse: Antes de dormir, os casais costumam conversar sobre seu dia: agendas superlotadas, compromissos, reuniões, dívidas. A cama vira palco para pequenas discussões, mágoas, arroubos de paixão. O casamento como instituição em constante declive, os cônjuges como desconhecidos, a falta de comunicação, de contato físico são temas levantados no novo espetáculo do grupo de teatro A Tua Lona. Através de uma dramaturgia que brinca com a repetição e com a diferença na repetição podemos ver duas histórias na mesma história. Tendo o outro-estranho como aquele que invade a privacidade, o submundo dos cômodos da casa, os personagens são levados numa re-descoberta sobre a relação amorosa em que estão envolvidos.

Ficha técnica: Texto e direção: Euler Lopes / Elenco: Cícero Júnior, Euler Lopes, Inês Reis e Marina Bezerra / Iluminação: Sérgio Robson / Sonoplastia: Sâmara Gardênia / Cenário: Laura Bezerra (projeto) e Inês Luz (execução) / Figurino: Grupo (idealização) e Inês Luz (execução) / Maquiagem: Inês Reis / Projeto Gráfico: Inês Reis / Músicas: Tudo do seu jeito (Plástico Lunar), Quarto Azul (Plástico Lunar) e Verniz (Alex Sant’Anna).

 

Quarta-feira • 07/10 • 17h

CONVERSAS VISUAIS

Local: Ateliê de Artes Visuais | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 30

Conversas sobre artes visuais, mercado de artes, criação e temas diversos com os artistas participantes da Residência em artes visuais.

 

Quarta-feira • 07/10 • 19h30

LANÇAMENTO DA PUBLICAÇÃO P.E.R.I.F.E.R.I.C.O – DRAMATURGIAS LATINO-AMERICANAS.

LEITURA ENCENADA DO TEXTO: AS HISTÓRIAS QUE SE CONTAM OS IRMÃOS SIAMESES

Local: Porão Torquato Neto | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 25 lugares

Sinopse: Tendo como ponto de partida duas obras literárias de autoria de Truman Capote e Michel Tournier, a peça, servindo-se de uma construção espelhada, conta a história de dois irmãos siameses, Truman e Capote, que, incapazes de cair no sono, se entretêm com uma história contada por um deles sobre dois irmãos siameses separados cirurgicamente e a complicada relação destes com Sophie, a noiva de um dos irmãos.

 

Quinta-feira • 08/10 • 10h30

LEITURA JOVENS DRAMATURGOS

Local: Escola Municipal Felicidade de Moura Castro | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos| Capacidade: 200

Sinopse: O grupo teatral A Tua Lona (SE) encena os textos vencedores do V Concurso Jovens Dramaturgos.

Ficha técnica: Direção: Euler Lopes / Elenco: Cícero Júnior, Euler Lopes, Inês Reis e Marina Bezerra.

 

Quinta-feira • 08/10 • 15h

DESAPARECIDOS • El Baul Teatro (Bolívia)

Local: Palco | Duração: | Classificação etária: 16 anos | Capacidade:

Sinopse: Em um espaço indefinido, três personagens tentam entender a razão para o desaparecimento de seus pais. Diferentes são os motivos, como diferentes realidades em que os personagens estão imersos, mas a incerteza sobre o abandono os une e até mesmo os combina em um único ser sem esperança. O lugar se afina mais quando identificamos a presença de um quarto personagem, que só é visto por Silvia, e que se constitui no imaginário dos desaparecidos.

Ficha técnica: Texto: Claudia Eid / Encenação: Mary Carmen Monje D. / Direção: Christian Castillo Luna / Elenco: Nicole Iturriaga, Mary Carmen Monje, Marcelo Sosa e Mario Aguirre / Coreografia: Miguel Marín / Fotografia: Oscar Diego Leaño / Cenário: Jorge Viera / Desenho de iluminação: Mario Aguirre / Produção: El Baíl Teatro.

 

Quinta-feira • 08/10 • 17h

Balaio – Encontro entre residências

Local: Café Literário | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 18 anos | Capacidade: 40

Encontro de trocas de experiências com participantes das residências artísticas em artes visuais, artes cênicas e música.

 

Quinta-feira • 08/10 • 18h

SHOW MONIQUE ROCHA “Homenagem a Clara Nunes”

Local: Anfiteatro | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos | Capacidade: 300

Monique Rocha é atriz, cantora e artista plástica. E é na mescla dessas três artes que desenvolve o seu trabalho. Com o espetáculo “O Canto da Guerreira – Uma Homenagem a Clara Nunes”, conta um pouco da história dessa cantora que foi uma das maiores intérpretes da música popular brasileira, trazendo em cena seus maiores sucessos, seus trajes e trejeitos.

Quinta-feira • 08/10 • 19h30

Lançamento da Publicação P.E.R.I.F.E.R.I.C.O – Dramaturgias latino-americanas.

LEITURA ENCENADA DO TEXTO: PASSAPORT

Local: Porão Torquato Neto | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Capacidade: 25 lugares

Sinopse: “Passport” é uma peça sobre a identidade, o reconhecimento, a burocracia e a incomunicabilidade. Eugenio, um viajante, tem que lidar com as autoridades de um lugar que ele não sabe qual é e num idioma que não conhece. Nesta situação limite, há, inusitadamente, a possibilidade de um autoconhecimento profundo, que o texto sabe explorar e evidenciar.

Ficha técnica:

 

Sexta-feira • 09/10 • 15h

PRINCESAS • El Masticadero (Bolívia)

Local: Palco | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 15 anos| Capacidade:

Sinopse: “Princesas” segue alguns dos princípios teatrais levantados por Bertolt Brecht, como a carga política, o enfrentamento direto com o público e a combinação de teatro, dança e, em nosso caso, performance. Baseado na “construção social de gênero”, o espetáculo toma como referência alguns contos de fadas difundidos pela Disney. O suporte textual não se constitui como uma história de ficção, mas sim com os princípios do teatro documental, onde a experiência dos atores vão girando o desenvolvimento da construção de sua própria identidade de gênero.

 

Sexta-feira • 09/10 • 17h

CONVERSAS VISUAIS

Local: Ateliê de Artes Visuais | Duração: 90 minutos | Classificação etária: | Capacidade: 30

Conversas sobre artes visuais, mercado de artes, criação e temas diversos com os artistas participantes da Residência em artes visuais.

 

Sexta-feira • 09/10 • 19h30

SHOW ALINE PAES “Batucada Canção”

Local: Espaço Garagem | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos| Capacidade: 100

A cantora Aline Paes apresenta o repertório de seu primeiro CD “Batucada Canção”. O espetáculo trata da vocação musical do Brasil, com especial atenção para a riqueza de nosso cancioneiro e de nossos ritmos populares, saudando a tradição e lançando olhar sobre a contemporaneidade. Unindo jovens e consagrados compositores, o repertório é de novidades, seja nas canções inéditas ou nas releituras de Caetano Veloso, Guinga e Dorival Caymmi. O calor do batuque se alterna com o lirismo da canção, somados a interpretação forte e original de Aline, que se comunica com o público convidando-o a brincar através do canto e do ritmo. O espetáculo é uma reverencia a diversidade cultural brasileira.

 

Sábado • 10/10

Encerramento das Residências • 17h

Local: Anfiteatro | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos | Capacidade: 300

Todos os grupos que participaram durante cinco dias durante as residências de Artes Visuais, Artes Cênicas e Música se encontram para apresentar o resultado final desta troca cultural e artística.

Show Juliana Linhares De onde veio/Para onde se vai• 19h30

Local: Anfiteatro | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 12 anos | Capacidade: 300

Neste show preparado especialmente para o PERIFÉRICO 2015, a cantora natalense de 25 anos traça um paralelo entre sua raiz nordestina e o Rio de Janeiro, investindo na força de um Brasil múltiplo de contradições e beleza desvendado pelos caminhos de compositores que sobrevivem fora do eixo comercial da nossa música. Nomes como Manduka, Guinga, Jessier Quirino e Frederico Demarca, entre outros, encontram na voz de Juliana mais um canal para dar vida aos seus personagens, desaforos e ilusões. Juliana é vocalista da banda carioca Pietá, é atriz e diretora de teatro.

Abertura da Exposição “Vitrine”

Data de início: 10/10/2015

Horário: a partir das 15h

Término: 28/10/2015

Local: Foyer do Espaço Cultural Escola Sesc

A mostra reúne obras realizadas a partir da experiência com a abstração, lírica e geométrica. Os alunos dos laboratórios de Artes Plásticas e de Experimentações Contemporâneas estudaram as manifestações abstratas modernas e contemporâneas, compondo trabalhos com ênfase nos elementos formais, como cores, texturas, linhas e planos, com a ausência de narrativas. As vivências resultaram na exploração de traços individuais, gerando uma diversidade de técnicas e estilos.

Aproveite e pegue uma carona, garanta sua vaga enviando um email para espacoculturalescolasesc@gmail.com, são apenas 15 lugares!

 

Anúncios

Um comentário em “P.E.R.I.F.É.R.I.C.O

Os comentários estão encerrados.