Caixa de Ferramentas – Teatro Musical

A Assessoria de Cultura da Escola SESC de Ensino Médio realizará no período de 30 de janeiro a 03 de fevereiro de 2012, de 9h30 às 17h, o projeto Caixa de Ferramentas – Teatro Musical.

No ano de 2011, o projeto UZINA: Laboratórios de Arte e Cultura, desenvolveu com a comunidade do entorno o laboratório de Teatro Musical, monitorado por Reiner Tenente e Anna Bello. O curso teve o objetivo de desenvolver e aprimorar, através da prática, técnicas básicas de canto e interpretação para musicais e estimular o participante a desvendar e explorar todas as possibilidades oferecidas pela junção de teatro e canto além de desenvolver o olhar crítico do aluno. As técnicas de interpretação para teatro musical foram baseadas na técnica do RASABOX e nas ações básicas proposta por Laban.

O Caixa de Ferramentas tem como princípio criar um espaço de trabalho e capacitação de estudantes e profissionais que queiram se inteirar a cerca de habilidades específicas. Diante do trabalho já desenvolvido no projeto UZINA, utilizaremos como ferramenta de aprendizagem o Teatro Musical, um gênero de teatro que combina música, canções, dança e diálogos falados. Está delimitado por um lado pela sua relação com a ópera e por outro pelos cabarés. Há mais de 10 anos que atores buscam a profissionalização específica em Teatro Musical, por essa razão que durante uma semana ofereceremos para as pessoas da comunidade, que tenham interesse nessa linguagem, uma programação com oficinas, palestras e fruição de espetáculos musicais.

Para se inscrever no projeto, basta preencher a ficha de inscrição e enviar para o email: assessoriadeculturaesem@gmail.com. Aqueles que se inscreverem deverão comparecer a todas as atividades. Não haverá inscrição para atividades isoladas.

Quantidade de vagas: 20 (vinte)

FICHA DE INSCRIÇÃO, clique aqui.

PROGRAMAÇÃO

De 30/01 a 03/02 – 9h30 às 12h30 – Oficina “Quando a Canção é Dramaturgia”

Na oficina Quando a canção é dramaturgia – ministrada pelos atores Claudia Ventura e Alexandre Dantas – os participantes terão contato com exercícios de interpretação voltados para o universo da dramaturgia musical.  Em cada encontro será trabalhada uma canção diferente, sempre estimulando os participantes a abordarem as músicas como parte de um texto de um personagem, inserido em um contexto que deve ser respeitado e compreendido na hora de cantar cada música.

A conclusão a que se pretende chegar junto com os participantes é que uma canção, quando inserida em um espetáculo teatral, deve ser executada com excelência musical, mas também – e principalmente – como voz de um personagem da história.

Público-alvo: atores e não atores, cantores, pessoas interessadas em música e teatro.

Pré requisito: cada aluno deve levar para o curso 3 (três) músicas que saiba de cor.

Ministrantes:

Alexandre Dantas e Claudia Ventura trabalham juntos desde 1991, quando participaram da montagem de Macbeth, de William Shakespeare, na UNI-RIO. A partir de 1997 dividiram a cena nos seguintes espetáculos: Sob a direção de André Paes Leme: A Capital Federal, Forrobodó, Um choro na cidade Nova, Alcassino e Nicoleta e Hamelin. Com a companhia Teatro do Pequeno Gesto, sob a direção de Antonio Guedes: A Serpente, O Jogo do Amor e Henrique IV; no Núcleo Informal de Teatro, sob a direção de Joana Lebreiro: Antonio Maria, a noite é uma criança, Ai que saudades do Lago e Aquarelas do Ary. Em 2008, criaram a Cia. Falácia e montaram o espetáculo A Igreja do Diabo, conto homônimo de Machado de Assis. Agora estão em cartaz com Amor Confesso, de Arthur Azevedo, com direção de Inez Viana.

 

30/01 – 14h – Palestra “Teatro Musical no Brasil: audições e o mercado de trabalho” com Reiner Tenente e Anna Bello

O teatro musical no Brasil vem se ampliando cada vez mais abrindo  possibilidades para que os atores tenham mais chances de encontrar um trabalho estável e com bom retorno financeiro mas assim como esse mercado  oferece possibilidades também exige cada vez mais qualidade do ator que deve não só atuar mas também cantar e dançar.

Como se preparar para audições? Como escolher cursos e professores? Como se apresentar nesse mercado que cresce cada dia mais?

Ministrante: Reiner Tenente é ator, cantor e arte educador formado em Artes Cênicas (Interpretação e licenciatura), pela UniRio (1998/2004) e pós graduando  em Preparação  corporal nas artes cênicas na Angel Vianna. Atualmente trabalha como ator no Espetáculo TIM MAIA-Vale Tudo –O musical com direção de João Fonseca e Texto de Nelson Motta.  Já fez diversos cursos e aulas com profissionais renomados, como Ana Achcar(interpretação), Mirna Rubim e Danilo Tim (canto) Elaine Petricoff e Christian Flescher (teatro musical) Flavio Salles (sapateado) entre outros. Nos Estados Unidos fez curso de interpretação no California Institute  of Arts. Entre suas mais importantes  experiências teatrais estão o espetáculos musicais “Roda Viva” de Chico Buarque com direção de Patricia Zampiroli e supervisão de Andre Paes Leme, “Tip e Tap ratos de sapato” com direção de Ronaldo Tasso e musicas de Tim Rescala e atualmente está fazendo “Tim Maia –Vale Tudo –O musical” com direção de João Fonseca e texto de Nelson Motta além de  performances como ator cantor e dançarino no Grona Lund Tivoli Park em Estocolmo –Suécia.

31/01 – 14h – Palestra “Ator de musical: ser ou não ser…” com Thelmo Fernandes

A palestra vai abordar a evolução do teatro musical na última década e quais as possibilidades deste profissional no mercado de trabalho. Além de informações sobre como administrar e conciliar as diferentes opções de estilos do teatro brasileiro.

Ministrante: Thelmo Fernandes é ator e estreou profissionalmente em 1991 após cursar a Escola de Teatro Martins Pena. Com o espetáculo “Gota D’água” no papel de “Creonte”, foi vencedor do Prêmio APTR 2007 de teatro como melhor ator coadjuvante e do Prêmio Qualidade Brasil como melhor ator em espetáculo musical de teatro no Rio. Além disso, foi indicado em 2007 ao Prêmio Shell de Teatro e ao Prêmio Contigo de Teatro pelo mesmo espetáculo.  Com o espetáculo “Tom e Vinícius – O Musical” no papel de “Vinícius de Moraes”, foi indicado ao Prêmio Qualidade Brasil, ao Prêmio Contigo de Teatro e ao Prêmio APTR de 2009.

01/02 – 14h – Palestra “Cabarés, cafés, burletas, operetas, chopes berrantes e Teatro de Revista: outros musicais, outras brasilidades, outras culturas” com Sidnei Cruz

Um passeio pelos diversos gêneros e sub-gêneros do Teatro Musical Brasileiro a partir da virada do século XIX até a década de 80 do século XX. Do Brasil da Lapa, passando pelas influências dos cabarés franceses, alemães e russos, até o Brasil da Praça Tiradentes e Cinelândia.

Ministrante: Sidnei Cruz é dramaturgo e diretor teatral (UNI-RIO). MBA em Gestão Cultural (UCAM), Mestre em Bens Culturais e Projetos Sociais (FGV-RJ). Publicou “Palco Giratório: uma difusão caleidoscópica das artes cênicas” (DANTES Editora), onde sintetiza os 10 anos do projeto que criou e coordenou de 1998/2007, quando atuava no Departamento Nacional do SESC. Desde 2008 é Assessor de Cultura da Escola SESC de Ensino Médio, onde desenvolve projetos de arte e cultura voltados para o desenvolvimento cultural local. Suas mais recentes montagens são: “Onde Você estava Quando eu Acordei?” (2008), Relicário (Instalação cênica com o Bando Filhotes de Leão-2009/2010) e “O Samba Carioca de Wilson Baptista ( Teatro Musical Brasileiro, de Rodrigo Alzuguir e Claudia Ventura- 2010/2011).

02/02 – 14h – Palestra “O teatro musical carioca” com Marcos França 

A palestra fará um panorama do que se define como teatro musical carioca, passando pelos grandes shows musicais de Carlos Machado até os musicais cariocas contemporâneos. Exibição de trechos das peças do autor e abordagem dos modos de produção de um musical brasileiro.

Ministrante: MARCOS FRANÇA é ator e dramaturgo. Em teatro atuou em peças como O TIRO QUE MUDOU A HISTÓRIA (1992) e TIRADENTES, A INCONFIDÊNCIA NO RIO (1992), OTELO – O NEGRO DE VENEZA (1994), OS DOIS CAVALHEIROS DE VERONA e AS ALEGRES MULHERES DE WINDSOR (1994) pelo Centro de Demolição e Construção do Espetáculo de Aderbal Freire Filho. Em 1997 participou da montagem de A MEGERA DOMADA, com direção de Dudu Sandroni. No Teatro do Pequeno Gesto realizou, a partir de 1998 os espetáculos A SERPENTE (1998) e HENRIQUE IV (2000) NAVALHA NA CARNE (2003) e A RUA DOS CATAVENTOS (2003), todos com direção de Antonio Guedes. Em 98 também foi indicado para o PRÊMIO MAMBEMBE como melhor ator coadjuvante pelo espetáculo CORAÇÃO MAMULENGO, de Carmen Leonora. Em 2002 encenou DRUMMOND – UM HOMEM POR TRÁS DOS ÓCULOS, espetáculo comemorativo do centenário de Carlos Drummond de Andrade. Em 2004, junto com Joana Lebreiro, cria o Núcleo Informal de Teatro, grupo dedicado a investigar nomes da música popular brasileira e realizam os espetáculos de sua autoria AQUARELAS DO ARY (2007/2008); AI, QUE SAUDADES DO LAGO! (2006) e A NOITE É UMA CRIANÇA (2004). Participou do musical NO PIANO DA PATROA, de Roberto Brügel, direção Lena Horn (2010). Ainda em 2010 participou do espetáculo ESTILHAÇOS, direção de Eduardo Wotzki. Agora está em cartaz com o musical NA ROTINA DOS BARES de sua autoria, com direção de Ana Paula Abreu. Na TV atuou nas minisséries INCIDENTE EM ANTARES (1994); OS MAIAS (2001) e JK (2006). No cinema atuou no longa INESQUECÍVEL (2007) de Paulo Sérgio Almeida. Desde 1997 é apresentador do canal educativo TV Escola.

02/02 – Vivência Cultural (assistir espetáculo teatral com todos os   participantes do projeto)

03/02 – 14h – Palestra “Memória e Música: experiências compartilhadas a partir do processo do musical Meu Caro Amigo” com Joana Lebreiro

Tendo como ponto de partida o processo de encenação do espetáculo “Meu Caro Amigo” (um monólogo musical inspirado em canções de Chico Buarque) a diretora Joana Lebreiro falará sobre algumas das questões que o gênero musical pode suscitar: as relações entre música, texto e atuação e, em especial, a relação da música com a produção de memória – tanto no âmbito da atuação quanto da comunicação com o espectador.

Ministrante: Joana Lebreiro é diretora teatral e preparadora de atores para cinema e televisão. É mestre em Memória Social e lecionou no curso de Direção Teatral da UFRJ por dois anos. Dirigiu espetáculos musicais de sucesso sobre grandes nomes da nossa música como Antonio Maria, Mario Lago e Ary Barroso. Seu último espetáculo musical, “Meu Caro Amigo”, inspirado em canções de Chico Buarque, estreou em 2009 e desde então se apresenta em temporadas e viagens por várias cidades do país.

Anúncios