Manual de fruição – Agosto – Espetáculo “Felizes para sempre”

Sugestões para uma melhor fruição do espetáculo teatral Felizes para Sempre

 

SINOPSE

A peça Felizes para Sempre foi escrita em 1999 pelo autor, ator e diretor Mário Bortolotto, de São Paulo.

Composta por três textos curtos, a peça retrata os fatos da vida conjugal de três casais, com a característica comum de pertencerem ao ciclo “espetacular” do cotidiano matrimonial regado a insultos, violência, alfinetadas e a eternas “perspectivas” de um futuro feliz.

Os textos “O rei do amor está morto”, “Speak Easy” e “Sweet Emily” comunicam-se com o público por falar de situações, propor sensações e acima de tudo, mostrar uma visão sobre a realidade de parceiros que dividem o mesmo espaço, desgastados pela intimidade amorosa e pela frustração de uma vida.

A montagem do Físico de Teatro aproxima o público da nova dramaturgia brasileira e atrai o espectador para dentro da cena, palco dos intensos diálogos e das insólitas situações vividas por seis personagens, interpretados pelos atores Camila Gama e Renato Livera.

ANTES

1. Ler sobre o autor dos textos da peça:

Mário Bortolotto (Londrina PR 1962). Autor, ator e diretor. Dramaturgo de personagens à margem da sociedade. Marca presença no teatro paulista a partir de meados dos anos 1990.

Em 1982, Mário Bortolotto, Lázaro Câmara e Edson Monteiro Rocha fundam, em Londrina, o grupo de teatro Chiclete com Banana que, a partir de 1987, passa a denominar-se Cemitério de Automóveis. Nesse ano integra um ciclo de novos diretores no Madame Satã em São Paulo, participando ainda de vários festivais no país.

Em 1997, surpreende como ator em Santidade, texto de  José Vicente censurado na ditadura e, finalmente, colocado em cena por Fauzi Arap.

Além de teatro, seu grupo passa a produzir também livros, CDs e filmes de curta metragem. Edita o jornal Urbano, divulgando teatro, música e literatura, trabalhos dos integrantes e amigos (livros, CDs, fitas demo, histórias em quadrinhos, filmes, fanzines, etc.). Medusa de Rayban ganha prêmios e catapulta a presença do grupo em São Paulo.

O crítico Sebastião Milaré analisa o trabalho do dramaturgo: “A obra dramática de Mário Bortolotto tem óbvias influências da literatura em permanente confronto com o sistema de um Kerouac e, mais ainda, de um Bukowski. Na maneira de abordagem, aos problemas e nos fluentes diálogos, todavia, prevalecem a cor local, e os estigmas da classe média brasileira, sufocada em angústias, medos e carências. Numa linguagem teatral contemporânea, Bortolotto vê o inconformismo dos filhos da burguesia em face do sistema burguês, que marcou a arte nos anos 1950 e 1960. E revela a atualidade desse inconformismo seminal e transformador”.

E refletindo sobre o trabalho múltiplo e incessante de Bortolotto, comenta o diretor Fauzi Arap: “Um ator carismático e impecável, autor e diretor de seus próprios textos, o talento de Mário Bortolotto não cabe num único meio de expressão. […] A par da qualidade, sua produção continuada faz imaginar um trabalhador incansável escondido por trás de sua postura ‘rebelde’, e faz supor que guarde ainda muitos tesouros escondidos”.

Fonte: http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_teatro/index.cfm?fuseaction=personalidades_biografia&cd_verbete=262

 

2. Conhecer sobre o trabalho da Cia, acessando o site: http://www.grupofisicodeteatro.blogspot.com/

3. Ler as tirinhas de humor sobre casais “Gi e Kim, os bem casados” – http://www.giekim.com/ e as charges de Glauco “Casal Neura” – http://www2.uol.com.br/glauco/casalneuras.shtml

4. Pensar acerca do trabalho do ator, de como o ator pode se preparar para interpretar diversos papéis na mesma peça.

5. Ler a entrevista sobre a formação da profissão de ator no Brasil: http://www.questaodecritica.com.br/2011/06/formacao/

DEPOIS

1. Discutir como um mesmo tema “fim de um relacionamento” pode ser explorado de diversas maneiras diferentes.

2. Ler as matérias do site da revista Super Interessante sobre relacionamentos:

a)      Por que os casais brigam? http://super.abril.com.br/superarquivo/2007/conteudo_514175.shtml

b)      7 dicas científicas para ter um casamento feliz – http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/7-dicas-cientificas-para-ter-um-casamento-feliz/

c)       Morar junto, sem casar, causa depressão –  http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/morar-junto-sem-casar-causa-depressao/

d)      O par perfeito – http://super.abril.com.br/ciencia/par-perfeito-447841.shtml

3. Ver os filmes:

a)      Fale com Ela – Pedro Almodóvar

b)      Vicky, Cristina, Barcelona – Woody Allen

c)       Lua de Fel – Roman Polanski

d)      Volver – Pedro Almodóvar

4. Ver as obras do artista norte-americano Kurt  Halsey Frederiksen – http://www.kurthalsey.com/category/work/ – e discutir como as emoções (amor, carinho, angústia) podem ser transportadas para o desenho e a pintura.

Anúncios