POÉTICA 2011

POÉTICA é uma programação elaborada pela Assessoria de Cultura da Escola SESC de Ensino Médio realizada pela primeira vez em 2009. Tem como objetivo levar a poesia e a palavra para perto do grande público através de uma diversidade de linguagens artísticas que vão do teatro à música, das intervenções poéticas aos recitais.

Em 2011, a terceira edição do Poética conta com as participações de Arnaldo Antunes em uma performance poética que mistura música, poesia e artes plástica; com o show-espetáculo “Tudo é desse mundo”em que a dramaturgia é elaborada a partir de textos do livro “Tinha uma coisa aqui”, de Ieda Magri, entremeados com canções de Sérgio Sampaio; com um coletivo de poetas, coordenado por Manoel Ricardo de Lima, comandando o “Microfone Aberto” em que o público é convidado a participar para compartilhar a sua produção poética; com o espetáculo de teatro musical “Concerto de Espinho e Fulô”, integrante do projeto Palco Giratório, que trabalha com a produção de poemas do cearense Patativa do Assaré ao mesmo tempo em que ficcionaliza a sua própria figura para contar uma história a partir de uma grande pesquisa sobre a vida e obra do poeta; e com um show com as “Chicas” em que as 04 moças apresentam composições próprias do seu novo repertório e interpretam velhas canções suas e de outros compositores.

Assessoria de Cultura da Escola SESC de Ensino Médio

Programação

16/03 – 18h30

Performance Poética com Arnaldo Antunes

Arnaldo Antunes explora, nesta performance, inúmeras possibilidades rítmicas e entoativas da linguagem poética. Acompanhado do músico Marcelo Jeneci (teclado e sanfona), Arnaldo fala, berra, canta, entoa ou sussurra, acrescentando, com esses recursos vocais, múltiplas sugestões de sentidos que dialogam com os poemas em si. Usa também efeitos e processamentos de sua voz ao vivo, além de improvisar sobre algumas bases de vozes pré-gravadas. Em algumas peças, Arnaldo sampleia sua própria voz ao vivo, sequenciando várias camadas de loops, que se sobrepõem enquanto vão sendo executados. O resultado são ambientes sonoros variados, onde a palavra protagoniza a cena, em atrito com os sons de Jeneci e as imagens projetadas, pilotadas ao vivo pela artista plástica Márcia Xavier. Além disso, Arnaldo utiliza alguns objetos (um globo luminoso, um rádio, tinta fosforecente, cartazes) em sua ação, interagindo com eles enquanto diz/canta/entoa os poemas.

17/03 – 18h30

Espetáculo-Show Tudo é desse mundo (RJ)

“Tudo é desse mundo” é um espetáculo que mistura dramaturgia com música e propõe um diálogo entre a personagem Silvia, do livro de contos “Tinha uma Coisa Aqui” de Ieda Magri, interpretada por Cristina Flores e as canções de Sérgio Sampaio, interpretadas por Gabriel Fomm. O egoísmo da natureza humana, os assombros, os desvios, as incertezas, recebem o tratamento cotidiano que lhes é devido, com lirismo e humor. Ordinário e excepcional, bem e mal, feio e belo… Tudo é desse mundo.

Ficha Técnica:

Direção: Cristina Flores e Gabriel Fomm / Adaptação: Cristina Flores / Direção musical e roteiro: Gabriel Fomm / Texto: Ieda Magri / Músicas: Sérgio Sampaio

Duração: 60 min.

Classificação: 16 anos

Capacidade: 100 lugares

18/03 – 18h30

Microfone aberto

Mediação: Manoel Ricardo de Lima, Eduardo Jorge, Leonardo Gandolfi e Marília Garcia

“Microfone Aberto” é um momento em que o Poética – Ano 3 dá voz ao público para que este se manifeste artisticamente, seja através de poesias, leituras dramatizadas, piadas, ou qualquer outra forma de intervenção criativa com o uso da palavra. Os poetas mediarão essa atividade criando jogos, intervenções e seduzindo o público para participações. Participe! Faça a sua inscrição para compartilhar conosco a sua poesia, dramaturgia, cantoria… Aproveite que o espaço é seu!

Manoel Ricardo de Lima nasceu no Piauí. Vive no Rio de Janeiro. É poeta, professor de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO. Publicou Falas Inacabadas [com a artista visual Elida Tessler], Embrulho e Quando todos os acidentes acontecem [poemas]; Entre Percurso e Vanguarda e 55 Começos [Ensaios] e As Mãos [novela].

Eduardo Jorge nasceu em Fortaleza, 1978. Vive em Belo Horizonte. Escritor e pesquisador. Publicou San Pedro (2004), Espaçaria (Lumme Editor, 2007), Caderno do Estudante de Luz (Lumme Editor, 2008). Realizou o video-dança San Pedro (2005). Possui no prelo A língua do homem sem braços (Prêmio Estado de Minas Gerais de Literatura 2009). Mestre em Estudos Literários e doutorando em Literatura Comparada pela UFMG.

Leonardo Gandolfi nasceu em 1981 no Rio de Janeiro, onde trabalha como professor. Tem mestrado em Literatura Portuguesa e é doutorando de Literatura Comparada na UFF. Publicou os livros de poemas No entanto d’água (7letras, 2006) e A Morte de Tony Bennett (Lumme Editor, 2010).

Marília Garcia nasceu no Rio de Janeiro, em 1979. É autora do livro 20 poemas para o seu walkman (2007, Cosac Naify) e coedita a revista Modo de usar & co. (revistamododeusar.blogspot.com) É doutora em Literatura Comparada pela UFF. Traduziu, entre outros, Gertrude Stein, Emmanuel Hocquard e Katherine Mansfield.

Capacidade: 100 lugares

Classificação Etária: Livre

Duração: 90 min.

19/03 – 18h

Espetáculo Concerto de Ispinho e Fulô (Cia. Do Tijolo/SP) – integrante do projeto palco Giratório

Uma Rádio Conexão SP/Assaré anuncia que uma Cia de Teatro de São Paulo chega para entrevistar o Poeta Patativa. O que seria uma entrevista costumeira se transforma num diálogo entre o popular e o erudito, o urbano e rural e culmina com a denúncia de um dos primeiros ataques aéreos contra civis em território brasileiro que não está nos livros de história.

Ficha Técnica:

Direção: Rogério Tarifa / Atores: Dinho Lima Flor, Fabiana Vasconcelos Barbosa, Lílian de Lima, Rodrigo Mercadante, Karen Menatti, Thaís Pimpão, Rogério Tarifa / Músicos: Jonathan Silva, Aloísio Oliver, Maurício Damasceno / Direção Musical: William Guedes Dramaturgia: Cia do Tijolo / Supervisão Dramatúrgica: Iná Camargo / Figurino e Cenografia: Silvana Marcondes e Cia do Tijolo / Consciência Corporal: Érika Moura Coreografia: Jorge Garcia / Iluminação: Fábio Retti / Operação de Luz: Danilo Mora / Fotografia: Alécio Cezar, Cacá Bernardes, Fábio Viana e Juliana Baraúna / Composições: Jonathan Silva e Dinho Lima Flor / Produção: Alessandra Ferros

Duração: 120 min.

Classificação: Livre

Capacidade: 60 lugares (Reserve o seu ingresso pelo tel.: 3214-7404 ou pelo email assessoriadeculturaesem@gmail.com)

19/03 – 20h

Pensamento Giratório com a Cia do Tijolo e o poeta e professor Manoel Ricardo de Lima

Logo após o espetáculo será realizada uma mesa de debate em que os participantes do grupo paulista Cia do Tijolo, junto com um convidado local, Manoel Ricardo de Lima, abordarão a possibilidade da criação de uma dramaturgia coletiva a partir das experiências de cada ator e estudos do grupo, tendo como ponto de partida a obra do Poeta Patativa do Assaré.

Duração: 60 min.

Classificação Etária: 14 anos

Capacidade: 100 lugares

 

20/03 – das 10 às 17h (1h de intervalo para almoço)

Oficina “Patativa num rio de poesia desembocando no teatro” com a Cia do Tijolo (SP)

O objetivo é encenar pequenas histórias, tendo como ponto de partida os textos de Patativa do Assaré e as experiências dos participantes. Junto a isso será trabalhado a integração de linguagens como: danças, cantos, trabalho corporal, desenvolvimento do jogo poético, construção e ampliação de um corpo para torná-lo expressivo, estudo das ações físicas e ações vocais. Serão feitas leituras e experiências dramatúrgicas sobre os poemas de Patativa e outros poetas.

Público alvo: estudantes de teatro, atores, bailarinos, poetas e músicos

Capacidade de inscritos: 15 alunos

Classificação Etária: 14 anos

Inscreva-se já

20/03 – 18h30

Chicas com o show “ENSAIO CHICAS – ENTRE NÓS”

“Ensaio Chicas- Entre Nós” é um processo aberto, tem idéias soltas e surge da vontade, que se alarga, de experimentar livremente as possibilidades musicais e cênicas, boba ou seriamente. Nessa “brincadeira” nascem muitas escolhas de canções, arranjos e até espetáculos, como “Barulinho”, show para crianças, que foi regado no segundo Ensaio Chicas. Entre Nós, particularmente, parte do desejo de abrir uma fresta um pouco maior no baú de composições inéditas das moçoilas. Outro ponto de partida é voltar para o quarto, no melhor dos sentidos. Redescobrir o jogo entre meninas; entre essas 4 chicas e o público, e só. Este ensaio- show vem sem a presença familiar dos parceiros músicos, que há tanto já estão junto das moças e não só as acompanham. Paula, Amora, Fernanda e Isadora se arriscam em menor quantidade de diferentes instrumentos, à principio, revelando novos olhares para velhas canções ou abrindo o coração esperando que a platéia também abra os seus. As Chicas compartilham um segredo como o nome que escolheram pro show diz. Apertam nós e afrouxam e até desatam outros; voltam a acenar para a liberdade, do jeito que gostam e reafirmam para dentro, de mãos dadas: “…somos sempre nós, os nós não se desatam facilmente.”

Capacidade: 100 lugares

Classificação Etária: Livre

Duração: 75 min.

De 16/03 a 15/05

ArteSESC Exposição Palavras Compartilhadas de Rosana Ricalde

A mostra de Rosana Ricalde apresenta três momentos relacionais entre a escrita e três motivos: imagem, paisagem e construção textual. Reunidos sob as séries intituladas Contrapoemas, Auto-Retratos, Provérbios, O tempo muda tudo, Mar Egeu/Mar Vermelho, Globo e os Manifestos, são 21 trabalhos, com inspiração em textos de livros. Na obra de Rosana, a estrutura vocabular é extremamente exposta, ciente de sua visualidade. A reconstrução das palavras trafega da forma literária para a forma visual. Ao apropriar-se de textos teóricos ou poéticos, a artista apresenta uma nova leitura da linguagem, remetendo-nos ao poder da palavra ao longo dos tempos – por conseguinte, seus trabalhos evocam geografias, histórias e filosofias. O percurso da artista, repleto de processos particulares e universais, é também ligado às vanguardas da arte conceitual, aos movimentos artísticos do século 20, como o dadaísmo, a poesia concreta, o surrealismo, em uma flagrante confluência de elementos contemporâneos.

Exposição

Visitas Agendadas

Grupos de 10 a 44 pessoas

Duração aproximada: 90 minutos

Terça a sexta: 10h às 17h

 

Anúncios